Mãe, que saudade
 

Mãe, que saudade da senhora

Dos nossos passeios, das conversas

Que sempre tivemos. Do nosso dia a dia

Da sua sabedoria, da sua graça,

Da sua comida saborosa, de sua maneira

simples de contar as coisas, da sua presença

maravilhosa. Ah! mãe, quanta falta sinto

Principalmente do seu apoio, do seu ombro

Sempre amigo para me encostar.

De seus braços que envolventes, me abraçavam.

Seus carinhos, guardo-os na memória

Tem dia que sinto sua presença

Em qualquer objeto que pego

Ou nas nuvens que vejo pela janela

Penso que pode estar ali, naquela,

A me espiar pensando que não a vejo

Vinte e um anos de ausência.

Meu coração chora, sinto-o apertado

Hoje é seu aniversário. Aqui todos vão

se lembrar. Vamos ao Campo Santo

Enfeitar sua morada tão gelada

com flores, carinho e muito amor

Lágrimas, com certeza, orações

Tudo que uma mãe como a senhora

merece receber. Pedirei aos pássaros

que passarem lá por perto

Que cantem em sua morada, mãe querida

E que o sol esquente todo teu cantinho

E que o calor chegue até lá embaixo

Na realidade sei que nada mais resta

Mas como a deixei ali é ali que imagino

Repousa seu corpo, livre de qualquer mácula

Sua memória pra mim será sempre altaneira

Pois ninguém como a senhora, merece um

Trono de rainha em nossos corações.

Eu queria que ninguém tivesse seu nome

Queria pronunciá-lo pensando na honradez

Na dignidade, na beleza da alma, do caráter

Naquela que tudo fez para seus filhos

Para os amigos e que ninguém esquece.

Oh! Mãe. Minha mãe... Rogai a Deus por mim

Preciso tanto desta sua ajuda.

Peço sua bênção mãe querida, hoje e sempre

Até o dia do nosso encontro, no plano espiritual

em que se encontra. Bênção mãe...

Olhe por mim...por nós,

Por todos nós que precisamos...

Jandyra-18-novembro-2.001


Voltar                                                                      Próximo

               

Ave_Maria_Schubert[1].mid