Quando a saudade chega
 

 

 

Quando a saudade chega, não sei do que

ou de quem me lembrar.

São tantas coisas bonitas, do passado não mui distante...

Uma música, um filme, um momento de carinho

com a pessoa amada, no portão de minha casa...

Aquela foto, amarelada pelo tempo, me traz você

com toda sua beleza, com seu carisma e atenção.

Chego a sentir seu perfume, um toque suave em meu rosto

Só de olhar e pensar.: imagine se ele estivesse aqui?

Ah! Bons tempos, vividos e nunca esquecidos

Cantado em prosa e verso pelos poetas

O céu, a lua e estrelas eram diferentes.

Brilhavam como se fosse só para nós

O ar era perfumado, as árvores das ruas

cheias de flores e aromas diversos.

Havia tempo para olhar o céu, conversar com as estrelas

Deixar que a lua iluminasse nosso beijo, aquele carinho

tão gostoso...Até a carícia de sua mão em minha face,

em meus cabelos, era tudo diferente amor.

Hoje, vivo da recordação. O tempo passa e nem sentimos

Quando notamos um objeto que nos recorde algo

damos conta que inexoravelmente a vida passou

e ficamos vivendo com a lembrança do passado

Bom ter o que recordar... A saudade é de tanta gente,

De tantas coisas mas, não sei por qual razão

A primeira coisa que surge em minhas divagações

É a sua figura, o meu amor, eternizado nesta música

Que sempre vai me lembrar você...

Jandyra- 29-janeiro-2.002

 

 


Voltar                                                                      Próximo

               

noche_de_ronda[1].mid